DIFICULDADES DE ACESSO A SERVIÇOS BÁSICOS

o caso dos pacientes que necessitam de tratamento fora de domicílio

Autores

  • Otoniel Rodrigues dos Anjos Junior Universidade Federal da Paraíba
  • Georgya Macelyny Claudino Gervazio UFPB
  • José Carlos de Araújo Amarante Universidade Federal da Paraíba

Palavras-chave:

Tratamento Fora de Domicílio; Demanda Insatisfeita; Município de Piancó.

Resumo

O artigo analisa as principais dificuldades associadas ao Tratamento Fora do Domicílio (TFD) no município de Piancó no interior do estado da Paraíba. Na coleta de dados, utilizaram-se questionários com perguntas estruturadas e organizadas em blocos, aplicados ao coordenador da Central de Regulação e Auditoria e aos pacientes a fim de avaliar os serviços prestados. Os resultados mostram que a maioria dos usuários do TFD é do sexo feminino, maior de 60 anos, residente na zona urbano e o tratamento mais frequente é a Hemodiálise. Em geral, os usuários sinalizam insatisfações com a prestação do serviço. Assim, para minimizar as insatisfações dos usuários com o TFD seria importante criar outras formas de atendê-los. Nesse caso, promover parcerias com hospitais, clínicas e médicos localizados na cidade de João Pessoa (capital do Estado) para atender com mais rapidez aos usuários. Além disso, disponibilizar uma “Casa de Apoio” em cidades como João Pessoa e Campina Grande para acomodação de pacientes e seus acompanhantes quando submetidos a tratamentos prolongados. Por fim, aumentar a frota de veículos do município seria outra medida importante, sobretudo para buscar os usuários que residem na zona rural.

Biografia do Autor

Georgya Macelyny Claudino Gervazio, UFPB

Graduada em Administração pela Universidade Estadual da Paraíba e Especialista em Gestão Pública Municipal pela Universidade Federal da Paraíba.

José Carlos de Araújo Amarante, Universidade Federal da Paraíba

Graduado em Economia e Mestre em Economia Aplicada pela Universidade Federal da Paraíba

Referências

ANDRADE, Z. T. M. Da efetivação do direito à saúde no Brasil. Âmbito Jurídico, nº 86. 2011. Disponível em:

. Acesso em: 01 de out. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

BRASIL. Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual estadual de tratamento fora do domicílio – TFD. Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, 2010. Disponível em: <https://www2.mppa.mp.br/sistemas/gcsubsites/upload/79/instrucoes_TFD.pdf>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

BRASIL Ministério da Saúde. Manual Normatização do Tratamento Fora do Domicílio – TFD do Estado da Paraíba. Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba, 2018. Disponível em: < http://static.paraiba.pb.gov.br/2018/02/Resolucao-83-Anexo-Manual-do-TFD.pdf>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. PORTARIA, Nº 1.559 de 1 de agosto de 2008. Institui a Política Nacional de Regulação do Sistema Único de Saúde - SUS. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2008, 1 de ago. 2008. Disponível em:

<https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html>.Acesso em: 26 de Out. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. PORTARIA, Nº55 de 24 de fevereiro de 1999. Dispõe sobre a rotina do Tratamento Fora de Domicilio no Sistema Único de Saúde-SUS. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1999, 24 de fev. 1999. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/1999/prt0055_24_02_1999.html>. Acesso em: 26 de Out. 2018.

BRASIL. Governo Federal. Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 Para 0 Desenvolvimento Sustentável. 2016. Disponível em: < http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/Brasil_Amigo_Pesso_Idosa/Agenda2030.pdf>. Acesso em: 26 de Out. 2018.

ESPERIDIAO, M.; TRAD, L. A. B. Avaliação de satisfação de usuários: considerações teórico-conceituais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 6, p.1267-1276, jun. 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GOUVEIA, G. C. Evaluation of user’s satisfaction with health care system in Brazil. 2009. Tese (Doutorado) Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, Fundação Oswaldo Cruz, Recife, PE, 2009.

GOUVEIA, G. C. et al. Satisfação dos usuários do sistema de saúde brasileiro: fatores associados e diferenças regionais. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 12, p. 281-296, 2009a.

JOPPERT, M. P. Guia para Integração dos Objetivos do desenvolvimento Sustentável nos Municípios Brasileiros - Gestão 2017-2020 [internet] . Brasília, DF, CNM, 2017. Disponível em: < https://www.cnm.org.br/cms/biblioteca/Guia_para_Integra%C3%A7%C3%A3o_dos_ODS.2017.pdf>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

JOPPERT, M. P.; GRANEMANN, S.H. Guia para Localização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nos Municípios Brasileiros: O que os gestores municipais precisam saber – Brasília: CNM - Confederação Nacional de Municípios, 2016. Disponível em: < https://www.cnm.org.br/cms/biblioteca/ODS-Objetivos_de_Desenvolvimento_Sustentavel_nos_Municipios_Brasileiros.pdf>. Acesso em: 26 de Out. 2021.

KLOETZEL, K. et al. Controle de qualidade em atenção primária à saúde. IA satisfação do usuário. Cadernos de saúde pública, v.14, p. 263-268, 1998.

MIGUEL, L. F. Impasses da accountability: dilemas e alternativas da representação política. Rev. Sociol. Polit., n. 25, p. 25-38, 2005.

MOIMAZ, S. A. S. et al. Satisfação e percepção do usuário do SUS sobre o serviço público de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 20, p.1419-1440, 2010.

RESENDE, J. et al. A satisfação do usuário com serviços de atendimento odontológico: Faculdade de Odontologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rev. reg. Araçatuba assoc. paul. cir. Dent. Araçatuba, v. 19/20, p. 13-18, 1998/1999.

TRAVASSOS, C; MARTINS, M. Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, p. S190-S198, 2004.

ZANELLA, L. C. H. Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. – 2. ed. reimp. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC, 160p. 2012.

Downloads

Publicado

2021-12-09