A LÓGICA PRODUTIVISTA DA EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES - EBSERH

Autores

  • Karolayne Ribeiro de Góes Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Estado. Política neoliberal. Precarização do trabalho

Resumo

O objetivo principal deste artigo é o de analisar os indícios da intensificação da precarização do trabalho nos hospitais universitários brasileiros após o repasse de sua gestão para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH, especificamente no Hospital Universitário Onofre Lopes – HUOL, vinculado à Universidade Federal do Rio grande do Norte – UFRN, lócus de nossa pesquisa. Pautamo-nos no método de interpretação da realidade crítico dialético. Esta pesquisa é de caráter bibliográfico e empírico, uma vez que nos referendamos por estudos bibliográficos de autores que discutem as categorias centrais de nossas análises: Estado, capitalismo e precarização do trabalho e também realizamos entrevistas presenciais, de cunho qualitativo, com doze trabalhadores do HUOL e com uma servidora pública, que atua no campus universitário da UFRN, totalizando treze entrevistas, analisadas a partir da técnica de análise de conteúdo. A intepretação dos nossos dados de pesquisa revelou que existe uma tendência estatal em quebrar a estabilidade do servidor público, por meio das terceirizações dos serviços públicos, como forma de intensificar a precarização do trabalhado e desregulamentar direitos trabalhistas historicamente conquistados. Palavras Chaves: Estado. Política neoliberal. Precarização do trabalho

Biografia do Autor

Karolayne Ribeiro de Góes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN desde 2016, com período sanduíche pela Universidade Nova de Lisboa, na cidade de Lisboa/Portugal no ano de 2018. Atualmente é Servidora Pública do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB

Referências

ALVES, Giovanni. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. Bauru. Editora Práxis, 2007.

AMORIM, Beatriz Penha Rodrigues. Privatização e mercantilização da saúde: um estudo sobre os impactos da gestão da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) no Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA). 2017 (109 folhas). Dissertação (Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas/CCSO). Universidade Federal do Maranhão, (São Luís).

ANDREAZZI, Maria de Fátima Siliansky. Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares: inconsistências à luz da reforma do Estado. Revista Brasileira de Educação Médica, 37(2) 275-284, 2013.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do Mundo do trabalho. São Paulo -Ed. Cortez, 1995.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. 1º edição: São Paulo. Boitempo, 2018.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo da psicopatologia do trabalho. São Paulo. Cortez editora, 1987.

HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo. Loyola, 2008.

MANDEL, Ernest. O capitalismo tardio. São Paulo. Nova cultura, 1985.

MARX, Karl. O Capital. Livro 1. Tomo I. São Paulo: Abril cultural, 1987.

PAIVA, Carlos Henrique Assunção and TEIXEIRA, Luiz Antonio. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. Hist. cienc. saúde-Manguinhos [online]. 2014, vol.21, n.1, pp.15-36. ISSN 0104-5970.

SADI, Dal Rosso. Mais trabalho: a intensificação do labor na sociedade contemporânea. São Paulo, Boitempo, 2008.

SOUZA, Moema Amélia Lopes. O trabalho em saúde: os fios que tecem a (des) regulamentação do trabalho nos serviços públicos. Recife, 2009.

Downloads

Publicado

2021-12-09