ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE CINEMA NO CAMPO DA ADMINISTRAÇÃO ENTRE OS ANOS DE 1998 E 2019

Autores

Palavras-chave:

Análise bibliométrica, Cinema, Administração

Resumo

Esta análise bibliométrica representa um esforço para compreender as limitações e abrangências da produção científica sobre cinema na área de administração, de maneira a traçar um panorama geral sobre as pesquisas realizadas, sobretudo no Brasil, do ano de 1998 a 2019. Partindo do pressuposto de que o cinema como forma de arte está intrinsecamente ligado à cultura e identidade nacional, estudar o cinema e o campo de pesquisa em que se encontra inserido se torna uma tarefa relevante. Além disso, os estudos sobre cinema também permitem que os olhares sobre a realidade se ampliem, pois a linguagem cinematográfica se mostra diversa e abrangente, possibilitando a apreensão de novas perspectivas e possibilidades sobre o que até então foi preestabelecido. Os resultados e as conclusões decorrentes desta análise puderam expor a dinamicidade existente tanto nos estudos da área de administração como na temática cinema e as quantificações realizadas puderam explicitar a dimensão da produção científica nesse recorte.

Referências

ALTUNA, J. L. “Acerca de la condición política de lo artístico en la sociedad del conocimiento”. Concinnita. Revista do Instituto de artes da UERJ, Rio de Janeiro, vol. 1, n. 10, julho de 2007.

BARROS, A. N. Uma narrativa sobre a história dos cursos de Administração da FACE – UFMG: às margens do mundo e à sombra da FGV? Tese (Doutorado em Administração). Centro de Pós Graduação e Pesquisas em Administração/Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte: 2013.

CARVALHO, N. S. Cinema Novo: Imagens do populismo. Campinas, SP. (Dissertação de Mestrado) Instituto de Artes, Unicamp, 1999.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GOMES, P. E. S. Cinema: trajetória no subdesenvolvimento. São Paulo: Paz e Terra, 1980.

KORNIS, M. A. História e Cinema: um debate metodológico. Estudos históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, p.237-250, julho de 1992.

PIERANTI, O. A Metodologia Historiográfica na Pesquisa em Administração: uma discussão acerca dos princípios e de sua aplicabilidade no Brasil Contemporâneo. Cadernos EBAPE, vol. 6, n. 1, março de 2008.

PINHEIRO, D. C. Em busca de contribuições para a gestão na economia solidária: um estudo a partir da literatura e do caso Cecosesola. Tese (Doutorado em Administração). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2013.

PIRES, J. C., MACEDO, K. B. Cultura organizacional em organizações públicas no Brasil. Revista de Administração Pública, vol. 40, n. 1, p.81-105, janeiro de 2006.

ROCHA, G. A Revolução do Cinema Novo. Rio de Janeiro: Alhambra/Embrafilme, 1981.

SILVA, M. R. da; HAYASHI, C. R. M.; HAYASHI, M. C. P. I. Análise bibliométrica e cientométrica: desafios para especialistas que atuam no campo. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, USP, vol. 2, p. 110-129, 2011.

SPINAK, E. Diccionario enciclopédico de bibliometría, cienciometría e informetría.

Montevideo, 1996.

TEIXEIRA, M. L. M.; IWAMOTO, H. M.; MEDEIROS, A. L. Estudos Bibliométricos (?) Em Administração: Discutindo A Transposição De Finalidade. Administração: Ensino e Pesquisa, vol. 14, n. 3, p. 423-452, julho de 2013.

TURNER, G. Cinema como Prática Social. São Paulo: Summus, 1997.

Downloads

Publicado

2022-06-01